Café em Rede. Bora?

Deixe um comentário

Como pessoa e como coordenadora do Observatório da Violência do CRM, estou convidando para o evento que vai acontecer na quarta dia 30. Cliquem no link para maiores detalhes.

convite 30.11

(Eu sei que estou em falta, os posts vão voltar com mais assiduidade em breve. Fé em Deus; em mim e nas minhas amigas que junto comigo fazem esse blog acontecer.)

 

 

 

Anúncios

Mulheres nos Quadrinhos

Deixe um comentário

Aconteceu no dia 15 de Outubro – estou um tanto atrasada, eu sei – mas o assunto ainda é recente. Fui a um debate sobre as mulheres nos quadinhos.

Fiquei muito nervosa, falei mais e mais rápido que de costume, mas gostei da experiência.

Gosto de quadrinhos, não me considero fã, não conheço vários autores/desenhistas/roteiristas, mas procuro me aprofundar sobre alguns que me chamam atenção.

É complicado argumentar sobre um assunto que não se tem grande conhecimento, mas acredito que consegui conquistar um dos meus objetivos durante esse debate. Perguntaram se eu queria acabar com o tipo de quadrinho que mostra a mulher apanhando, sendo violentada; eu disse que não.

Meu intuito com relação às histórias em quadrinhos não é que elas se tornem histórias de caras apanhando e sendo violentados sexualmente e nem que a violência nesse território suma. Meu intuito é que as pessoas percebam o que estão criando, o que estão divulgando e que os leitores saibam o que estão lendo.

Nas HQ’s o que chama a atenção de cada leitor varia: cores, formas, história, mulheres seminuas, corpos masculinos com roupas apertadíssimas… Mas é importante que a consciência tanto de quem produz como de quem lê esteja atenta pra que aquilo que se vê e lê nas HQ’s permaneça só nelas! Ficção é algo imaginário e pronto.

Se você curte ver um cara apanhando de vários caras, sendo morto e ressuscitado várias vezes de várias formas diferentes, ok.

Mas se você curte violência contra a mulher, se você acha que mulher tem mais que ser objeto, que ela tem mais é que ser sodomizada, que mulher só tem como forma de poder a sedução…VOCÊ ESTÁ ERRADO!E MUITO ERRADO!

Não me incomodo com o fato das heroínas ou até mesmo das vilãs serem desenhadas com uma sexualidade exagerada, mas é sempre bom se questionar “É só assim, com o sexo, que elas conseguem?” Porque na realidade, a conversa é outra. E por que diabos o cara tem que estuprar a mulher como forma de ‘luta’? Vai estuprar um herói pra você ver a confusão!…

Não quero que o mundo seja dominado pelas mulheres mas não concordo com a dominação masculina e machista vigente.

Daí a querer que as mulheres apareçam todas muito bem vestidas nos quadrinhos, que as histórias sejam pacíficas e tal…bem, não é por aí. Ao menos não para mim.

Por que não expandir a de retratar/ver as mulheres nos quadrinhos?

Eu sei que as histórias em quadrinhos são um universo de homens, na maioria machistas, mas faz um tempo que esse universo se expandiu, então não acredito que nós mulheres devamos simplesmente pensar ‘É pra ficar feliz de ao menos estarmos nessas histórias!’. Esse tempo já foi.

Agora é tempo de rever e recriar histórias, desenhos, conceitos, vivências.

Então nada mais normal que querer que isso também aconteça nos quadrinhos, já que eles fazem parte da nossa história.

Quadrinhos divertem, relaxam, entretem, mas também têm o seu papel na humanidade.

Se a questão da opressão das mulheres abrange diversos ambientes, acredito que ela também passa pelos quadrinhos. E acredito ainda mais que devemos pensar sobre isso, de um modo que certos papéis atribuídos a nós mulheres possam mesmo ficar só no papel, como algo que já foi e que agora só existe na lembrança de uns e na imaginação de alguns.